Os jogos de adivinhação em blocos têm sido um dos principais fenômenos da internet mundial neste início de 2022. O caso mais conhecido é do Wordle, que explodiu e chegou a ser vendido por um valor milionário ao The New York Times. E um projeto criado por um brasileiro também está bombando e chamando a atenção até de pessoas fora do país.

O publicitário Adriano Brandão conta ao TecMundo que é apaixonado por músicas e que pensava em produzir um game de adivinhação musical desde 2019. Na época, ele queria uma plataforma que tivesse ligas, esquema antifraude e até um ranking de quem acertasse mais as canções.

A ideia acabou ficando para trás por causa de outros trabalhos. No início deste ano, porém, as coisas mudaram de figura. “Quando vi o Wordle agora em janeiro, percebi que o jogo de adivinhação que eu queria fazer poderia ser muito mais simples. Focado só na diversão, sem ranking, com periodicidade e compartilhamento em redes sociais. Então passei duas semanas para criar e lançar o Musicle”, explica.

Musicle

O Musicle é um game de adivinhação para navegador que conta com três novos desafios diários em cada gênero musical (ao todo são mais de 12). Para adivinhar, o usuário toca um trecho com segundos da canção e depois escolhe algum dos quatro artistas nas opções.

Lançada em 11 de fevereiro, a plataforma teve cerca de 27 mil jogadores nas primeiras 24 horas e 115 mil jogadores na primeira semana. Ao todo, foram realizadas 360 mil partidas nos primeiros sete dias.

“Agora no início a audiência tem sido 90% brasileira. Isso aconteceu naturalmente, porque a minha bolha nas redes sociais é brasileira, e foi assim que o jogo se espalhou. Mas ele já chegou a 114 países. Os principais mercados, fora o Brasil, têm sido os EUA, sendo dois terços da audiência americana de brasileiros que moram lá, e Espanha”, conta o idealizador.

Próximas novidades

Por ter conhecimento em desenvolvimento e design, Brandão criou sozinho o Musicle. Ele afirma que alguns amigos auxiliam em questões musicais, mas que ele tem tocado o projeto por hobby, já que por enquanto só teve gastos e nenhum retorno financeiro. Com a grande audiência da primeira semana, que chegou a deixar o site fora do ar, ele precisou tirar dinheiro do bolso para bancar servidores melhores, por exemplo.

Apesar disso, ele conta que a longo prazo pretende tornar o jogo sustentável financeiramente e que no momento está melhorando o projeto a partir dos feedbacks e tentando angariar mais audiência.

“[No futuro] eu tenho uma lista grande de implementações a fazer no Musicle, desde melhorias na inteligência artificial das adivinhações, já que não sou eu que escolho as músicas, à infraestrutura de servidores, passando por recursos novos no jogo em si”, disse.

Musicle

O publicitário também quer incorporar novos “sabores”, como são chamados os estilos musicais e desafios específicos, como o dos Beatles, que rolou na semana passada. Ele finaliza explicando o trabalho com o Musicle a partir de uma analogia.

“Lançar um aplicativo é que nem plantar uma árvore: tem que ficar de olho, ficar regando, podar de vez em quando, cuidar o tempo todo. O trabalho nunca termina”, brinca.



TecMundo