Para quem pensa que as contas digitais são apenas um modismo, uma pesquisa realizada pelas empresas idwall e Cantarino Brasileiro mostrou uma realidade sólida e promissora. Divulgado durante o idsummit da regtech, o chamado Ranking de Onboarding Digital 2021 revelou, entre outras informações, que existem atualmente mais de 250 milhões de contas digitais abertas no Brasil, ou seja, 117% da população estimada do país.

O que mais impressiona nessa pesquisa é que, nesse grupo continental de contas, pelo menos 115 milhões foram abertas entre janeiro e setembro do ano passado. E elas não estão concentradas em um determinado segmento, pois o estudo mostra que, entre os participantes da pesquisa, 60% possuem pelo menos uma conta em bancos digitais, mas a maioria (64% em 2021) continua tendo também operando com bancos tradicionais.

O ranking, disponível em sua quarta edição, é resultado de uma parceria entre a idwall, uma startup de soluções de compliance para o ambiente digital, e a tradicional empresa de marketing e comunicação Cantarino Brasileiro. A ideia é avaliar o onboarding digital dos bancos, ou seja, o que impressiona os brasileiros assim que se cadastram em uma instituição financeira e o que os encanta ao usarem os aplicativos bancários.

Quais foram os bancos que mais se destacaram?

Fonte: Mikhail/Pexels/Reprodução.Fonte: Mikhail/Pexels/Reprodução.Fonte:  Mikhail/Pexels 

Realizada de forma totalmente online com mais de 2 mil pessoas de todo o país, entre os dias 17 de novembro e 13 de dezembro de 2021, a pesquisa pediu que os participantes atribuíssem notas nas experiências de cadastro, para avaliar o interesse de o indivíduo em permanecer na instituição.

O Ranking de Onboarding Digital 2021 propriamente dito foi segmentado em Challenger Banks (os digitais de origem), Bancos (empresas tradicionais) e Carteiras Digitais (Wallets). Os vencedores foram, respectivamente, Nubank, Banco Bari e PicPay. Quanto às instituições financeiras mais utilizadas, o Nubank também ficou em primeiro em número de usuários, à frente da Caixa Econômica Federal.



TecMundo