O estudante Jack Sweeney, que ficou famoso por rastrear o jato de Elon Musk, agora tem novos alvos. Com a invasão da Rússia à Ucrânia, ele começou a monitorar os deslocamentos dos aviões particulares de oligarcas e bilionários russos, disponibilizando as informações por meio do Twitter. Além disso, o próprio presidente russo também virou alvo da tecnologia.

Conforme relata a CNN nesta quinta-feira (3), o americano lançou dois bots na rede social que fornecem atualizações em tempo real sobre as viagens das aeronaves pertencentes aos aliados do presidente Vladimir Putin e do próprio presidente, incluindo mapas com a localização delas. Juntos, os dois perfis automatizados, @Putinjet e @RUOligarchJets, já somam mais de 300 mil seguidores.

Mais de 40 aeronaves ligadas aos oligarcas russos, entre aviões e helicópteros, são rastreadas pelos robôs do Twitter criados por Sweeney, segundo a publicação. Em meio a elas, estão modelos de grande porte e utilizados comercialmente, como o Boeing 737 e o Airbus A319, que nestes casos atendem somente ao transporte particular de seus donos.

Esse número pode crescer em breve, pois o jovem pediu ajuda a outros internautas para aumentar a quantidade de modelos rastreados pelos perfis. Enquanto isso, a conta criada para monitorar Musk segue ativa, após a recusa de uma oferta de US$ 5 mil (R$ 25,2 mil pela cotação atual) feita pelo CEO da Tesla para removê-la.

Roman Abramovich é um dos alvos

Algumas das aeronaves monitoradas pelo jovem de 19 anos pertencem a figuras conhecidas, como o dono do Chelsea Roman Abramovich. O proprietário do time inglês, que possui uma fortuna estimada em mais de US$ 10 bilhões, vem sofrendo forte pressão para vender o clube, devido à sua proximidade com Putin.

Principal acionista da produtora de gás Novatek, o empresário Leonid Mikhelson é outro bilionário cujas viagens estão sendo rastreadas ao vivo pelos bots. Dono do maior iate do mundo, o oligarca Alisher Usmanov também está entre os alvos das contas automatizadas.





TecMundo