Parece que desta vez o Projeto Kuiper da Amazon, que prevê a colocação de 3.236 satélites na órbita terrestre, irá literalmente decolar. A gigante do ecommerce, e agora um big player da internet-from-space, anunciou nesta terça-feira (05) a reserva de dezenas de lançamentos em três foguetes diferentes para transportar os seus futuros satélites de internet até a órbita baixa da Terra.

Em conjunto, os lançamentos chegarão a um total de 83 e devem ocorrer em cinco anos, período no qual o Projeto Kuiper espera ter a maior parte dos seus satélites em órbita. Embora a Amazon não tenha revelado o custo dos contratos de lançamento, o porta-voz do projeto, James Watkins, afirmou ao The Verge que o investimento da empresa nos três acordos envolve bilhões de dólares.

Fonte: Amazon/Divulgação.Fonte: Amazon/Divulgação.Fonte:  Amazon 

Foguetes em construção

Sair em segundo lugar, em uma corrida que tem à frente o programa Starlink da SpaceX , é um desafio que Amazon espera começar a equilibrar já a partir deste ano. Em novembro, a empresa revelou seus planos de lançar dois primeiros protótipos de satélite, o que deverá ocorrer a bordo do foguete experimental RS1, da startup ABL Space Systems, no quarto trimestre de 2022.

É bom lembrar que o RS1, assim como os demais foguetes contratados pelo Projeto Kuiper, ainda estão em desenvolvimento. No entanto, se não ficarem prontos a tempo depois do lançamento dos protótipos, a empresa poderá utilizar o foguete Atlas V, da United Launch Alliance (ULA), também contratado pela Amazon há um ano.

Os foguetes ainda em desenvolvimento são o Ariane 6 da Arianespace, o Vulcan da ULA e o New Glenn da Blue Origin. As reservas do projeto incluem 38 lançamentos com a ULA, 18 com a Arianespace e pelo menos 12 com a Blue Origin, com a opção de compra de mais 15 desta, que também é uma empresa de Jeff Bezos.



TecMundo