O mercado financeiro oferece um mundo de possibilidades para quem está envolvido com investimentos e ações. Dentro desse contexto, está a Bolsa de Valores, local onde há negociações constantes de acordo com índices de desempenho mundiais e acontecimentos que podem impactar diretamente as finanças de milhares de empresas.

O índice Ibovespa, por exemplo, é um dos mais importantes, pois evidencia o desempenho médio de cotação das ações brasileiras, que são negociadas constantemente na B3 (ou B³), a bolsa de valores do nosso país, localizada em São Paulo. E o Ibovespa Futuro consiste em um outro indicador, que também se refere à renda variável e pode ser bastante complexo por tratar de ativos que só serão liquidados em outros tempos.

(Shutterstock/Reprodução)(Shutterstock/Reprodução)Fonte:  Shutterstock 

Mas se tudo isso parece difícil demais de se entender em um primeiro momento, abaixo, explicaremos o que significam todos esses termos e como tudo funciona de modo amplo. Confira!

O que é o Ibovespa Futuro?

Por meio da bolsa de valores brasileira, os investidores podem negociar ações em cerca de 500 empresas de grande porte em nosso país. Junto dessa negociação estará o Ibovespa, que por meio de sua metodologia de ação consegue medir e representar de forma fiel qual é o comportamento do mercado em determinado período com relação à venda de ações, bem qual é o desempenho de todas elas.

Dentro do índice, a teoria se transforma em prática, pois as carteiras de investimentos vão sendo modificadas a partir dos estudos que monitoram as negociações e o perfil dos investidores. No final, tudo é matemática, pois uma média ponderada dessas performances é calculada para que os dados do índice possam ser conhecidos.

(Shutterstock/Reprodução)(Shutterstock/Reprodução)Fonte:  Shutterstock 

E agora que você já sabe, em linhas gerais, o que é o Ibovespa, vamos nos aprofundar. Todos os dias, as ações de uma determinada empresa podem despencar ou também tornarem-se muito disputadas, seja por conta de algum fator externo ou alguma questão percebida nos índices de desempenho.

Se isso ocorre constantemente, como ficam as especulações sobre as ações no futuro? É partindo desse tópico que o Mercado Futuro existe dentro da Bolsa de Valores. E, logicamente, junto dele está o Ibovespa Futuro como um índice que mede o desempenho dessas ações e desses investimentos que ainda não aconteceram.

Partindo de uma expectativa de valor para ações em determinadas datas, o índice passa a realizar cálculos com base nessas especulações. Dessa maneira, cria-se um contrato de negociação com prazo de validade, no qual os investidores irão apostar um determinado valor para o índice no futuro.

(Shutterstock/Reprodução)(Shutterstock/Reprodução)Fonte:  Shutterstock 

Como trata-se de uma aposta, há mais riscos envolvidos, pois no Ibovespa Futuro não há como saber se o seu dinheiro irá se desvalorizar ou irá se ampliar na data escolhida. Se no índice Ibovespa a valorização ou desvalorização são apresentados em papéis, no Ibovespa Futuro o que conta são os pontos.

Como funciona o Ibovespa Futuro?

Em algum momento da sua vida, você já deve ter assistido o âncora do jornal televisivo falando sobre a média que o índice Ibovespa fechou em um determinado dia, certo? Pois bem, esses números são gerados diariamente para que os profissionais que trabalham no mercado de ações tenham controle sobre o que está acontecendo e, assim, manter seus planejamentos e investimentos em consonância ao que eles esperam.

Com o Ibovespa Futuro não é tão diferente. O que ocorre é que as datas de validade firmadas nos contratos do passado de investidores que resolveram participar dessas apostas começam a expirar e os pontos poderão ser finalmente conferidos, sobretudo pela inconstância e variáveis que surgem a todo momento no mercado financeiro.

(Shutterstock/Reprodução)(Shutterstock/Reprodução)Fonte:  Shutterstock 

Vamos exemplificar com números: se no dia 1 de março o Ibovespa Futuro apresenta-se com 50 mil pontos e um investidor decide negociar um contrato futuro com vencimento para 15 de março avaliado em 75 mil pontos, para saber se a aposta funcionou, é preciso esperar até que a data de vencimento expire.

Então, no dia 15 de março, se o índice estiver com a mesma quantidade de pontos, o investidor terá prejuízo, pois terá pago um valor pelo contrato com base em uma perspectiva que não se concretizou. Entretanto, se no dia 15 de março o índice apresentar-se com 80 mil pontos, haverá lucro e a operação será bem-sucedida.

É importante pensar que, para negociar no Mercado Futuro, é preciso ter clareza sobre a inconstância da economia e analisar perspectivas para os próximos dias com muita cautela. Em linhas gerais, o Ibovespa Futuro é interessante para investidores de longa data e que não se preocupam tanto, em um primeiro momento, com riscos — que também podem ser baixos.

Gostou do conteúdo? Então continue ligado aqui no TecMundo para saber tudo sobre as principais tendências do mercado!



Olhar Digital