A RTX 3060 Ti é a versão turbinada da placa de entrada com arquitetura Ampere e que, curiosamente, chegou antes do modelo padrão. Pensada para substituir a RTX 2060 Super, ela tem potencial para contemplar um segmento que ainda é dominado pelas GTX 1060.

Geralmente os modelos premium de um segmento acabam atendendo a demandas muito específicas. Sendo assim, o Tecmundo preparou uma análise para esclarecer se vale a pena o investimento extra em um modelo que, tecnicamente ainda considerado de entrada.

Especificações da GeForce RTX 3060 Ti

  • Arquitetura: Ampere
  • Núcleos CUDA / Tensor / RT: 4864 / 152 / 38
  • Boost Clock (MHz): 1665
  • Clock básico (MHz): 1410
  • Velocidade da memória: 14 Gbps
  • Memória: 8 GB GDDR6
  • Interface: 256-bit
  • Largura de banda da memória: 448 GB/s
  • Ray Tracing (Hardware): Sim
  • PCIe 4.0: Sim
  • DLSS: Sim
  • NVIDIA G-SYNC™: Sim
  • Microsoft DirectX 12 Ultimate, Vulkan API, OpenGL 4.6: Sim
  • DisplayPort 1.4a, HDMI 2.1: Sim
  • NVIDIA GPU Boost™: Sim
  • VR Ready: Sim
  • USB Type-C e VirtualLink: Yes
  • Resolução Máxima: 7680×4320 (8k)

Comparativo

A RTX 3060 Ti foi lançada no final de 2020 com 8 GB de GDDR6, 4 GB a menos que a versão base lançada em fevereiro de 2021. Tanto por isso fica a dúvida em relação ao desempenho, já que é comum acreditar que mais VRAM resulta em resultados melhores.

Comparando os resultados em jogos, fica claro que mesmo em resoluções acima de FullHD, mais exigentes em memória, o projeto mais robusto da RTX 3060 Ti representa uma vantagem significativa, com desempenho até 30% melhor.

RTX 3060 12 GB chega a perder para RTX 2060 Super em testes sintéticosRTX 3060 12 GB chega a perder para RTX 2060 Super em testes sintéticosFonte:  UserBenchmark 

Tanto em jogos quanto em testes sintéticos, a RTX 3060, tem resultados praticamente idênticos (ou inferiores) que as RTX 2060 Super. Dessa forma, a 3060 Ti acaba sendo a única opção que justifique um upgrade entre os modelos de entrada Turing e Ampere.

Diferença de desempenho entre RTX 3060 Ti e RTX 3060 (12 GB) passa de 30%, justificando investimentoDiferença de desempenho entre RTX 3060 Ti e RTX 3060 (12 GB) passa de 30%, justificando investimentoFonte:  UserBenchmark 

GeForce RTX 3060 Ti contra topos de linha GTX10 e RTX20

Novos modelos de placas de vídeo, ou no mínimo versões melhoradas, são lançados quase anualmente, mas a realidade é que a maioria dos usuários busca opções que atenderão suas demandas por bem mais de um ano.

Tanto por isso as GTX 10 ainda representam aproximadamente 20% da base instalada de GPUs para desktops. Apesar de a 3060 Ti ainda estar bem abaixo nessa pesquisa, muito disso se dá devido aos preços inflacionados por conta principalmente da mineração de criptomoedas.

GTX 1060 lidera ranking de GPU mais utilizadas, mas RTX 3060 Ti tem potencial para superá-la a longo prazoGTX 1060 lidera ranking de GPU mais utilizadas, mas RTX 3060 Ti tem potencial para superá-la a longo prazoFonte:  Steam 

Rodando testes em 1440p e gráficos no Ultra em jogos pesados, a placa da geração atual entregou mais de 60 fps estáveis, ficando  à frente das GTX 1080 Ti e RTX 2080 Super que, mesmo usadas, ainda são bem caras.

Dessa forma, com o mercado de GPUs se estabilizando, é mais vantajoso comprar uma RTX 3060 Ti tanto pelas tecnologias quanto pelo tempo estimado de suporte, sugerindo que a longo prazo ela tem potencial de sobra para substituir diversos modelos dessa lista.

Enfrentando a RTX 3070 Ti

Por ser um modelo premium, a GeForce 3060 Ti é naturalmente mais cara, mas abaixo dos R$ 5.000. Posicionada entre as RTX Turing e o atual segmento intermediário, é importante analisar até que ponto compensa escolher uma placa ainda de entrada.

GeForce RTX 3060 Ti tem quase o mesmo desempenho da RTX 3070 padrão, mas custa em média R$ 2 mil a menosGeForce RTX 3060 Ti tem quase o mesmo desempenho da RTX 3070 padrão, mas custa em média R$ 2 mil a menosFonte:  UserBenchmark 

A RTX 3070 padrão tem resultados muito próximos aos da 3060 Ti, então a comparação só faz sentido se considerarmos a RTX 3070 Ti, modelo intermediário também premium. Não é surpresa que seu desempenho seja melhor, mas ela custa quase R$ 3 mil a mais.

Comparando os benchmarks em QuadHD, as duas placas ultrapassam os 60 quadros por segundo com configurações no Ultra. Entretanto, a vantagem é de apenas 10 fps, subindo para até 20 fps quando reduzimos a qualidade para Muito Alto.

Sendo assim, é natural que o modelo bem mais caro irá resistir melhor ao teste do tempo, mas, a não ser que os preços mudem muito nos próximos meses, R$ 3 mil de diferença podem significar um kit de processador e placa-mãe que também irão durar bem mais.

A RTX 3060 Ti vale a pena?

Sim, mas depende do orçamento. Por conta dos valores ainda desregulados das GPUs, a RTX 3060 Ti é um exemplo de modelo premium  que garante bom ganho de desempenho sem subir muito de faixa de preço. Ainda assim, ela pode custar até R$ 4.800, valor bem alto para apenas uma peça.

Tanto para montar um PC novo quanto atualizar a GPU, existem opções mais baratas, mas que ficarão obsoletas antes, como as GTX16 e RTX20. Se o modelo substituído for dessas séries, a atualização só faz sentido para quem conseguir revender essas placas por um bom preço, o que ainda é possível.

Talvez o principal fator hoje  para escolher a RTX 3060 Ti seja o futuro do mercado de placas de vídeo. O modelo substitui bem placas topo de linha mais antigas, e projeções sugerem que os preços ficarão ainda mais elevados a partir das RTX 4000.

É impossível dizer como o consumidor irá receber as novas placas, mas para quem quer garantir quanto antes que seu desktop irá rodar lançamentos com excelente qualidade gráfica por alguns anos, a RTX 3060 Ti talvez seja a melhor opção, apesar de ainda ser mais cara que um console da nova geração.



Olhar Digital