Os investidores que aguardam pela oferta pública de ações (IPO) da Starlink vão precisar de paciência, pois a subsidiária da SpaceX, especializada em internet por satélite, não deve abrir capital na Bolsa tão cedo. Quem afirma é o próprio CEO da empresa Elon Musk, como informou a CNBC na terça-feira (7).

Segundo a publicação, o bilionário disse aos funcionários que o aguardado IPO da Starlink provavelmente não acontecerá antes de três ou quatro anos. Dessa forma, interessados em investir nas ações da organização só poderão fazê-lo a partir de 2025, no mínimo, caso a previsão se confirme.

A fala de Musk aconteceu durante reunião na semana passada, cujo áudio da gravação foi obtido pela reportagem. Na conversa, ele enfatizou que a companhia precisa estar em “uma situação de navegação tranquila” e com “boa previsibilidade” antes de abrir capital.

Constelação de satélites da Starlink é vista no céu.Constelação de satélites da Starlink é vista no céu.Fonte:  Shutterstock 

Crescimento acelerado

Depois de iniciar 2022 com 145 mil assinantes em todo o mundo, a Starlink já conta com mais de 400 mil, como revelou Musk na segunda quinzena de maio, em uma conferência com a Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos (FCC). O serviço, bastante utilizado pelos ucranianos durante a invasão russa, já lançou cerca de 2.500 satélites em órbita.

A empresa, que cobra mensalidade em torno de R$ 530 para os usuários brasileiros, além dos custos do equipamento, deverá obter uma receita anual de US$ 500 milhões ao final de 2022, o equivalente a R$ 2,4 bilhões pela cotação de hoje, considerando a quantidade atual de assinantes.



Olhar Digital