Um programa de educação financeira com ênfase no bitcoin, destinado à população de baixa renda, é o mais novo projeto do rapper Jay-Z em parceria com o cofundador do Twitter, Jack Dorsey. A iniciativa, lançada nos Estados Unidos na quinta-feira (9), vai começar pela cidade de Nova York.

Intitulado “The Bitcoin Academy”, o projeto terá aulas presenciais e online gratuitas duas vezes por semana, entre junho e setembro. Elas serão ministradas por personalidades do universo das criptomoedas, como o administrador do site Black Bitcoin Billionaire Lamar Wilson e a CEO do espaço Crypto Blockchain Plug, Najah J. Roberts.

Os participantes vão aprender o básico do mercado das moedas digitais, como o que é uma criptomoeda e como funciona o blockchain. Dicas para identificar fraudes com bitcoins e outros criptoativos também serão abordadas, havendo ainda aulas de educação financeira para crianças.

O projeto objetiva educar as pessoas em relação ao investimento em criptomoedas.O projeto objetiva educar as pessoas em relação ao investimento em criptomoedas.Fonte:  Shutterstock 

Entusiastas da tecnologia, Jay-Z e Dorsey já participaram de outras iniciativas para promover o dinheiro digital, incluindo a doação de 500 bitcoins (R$ 73 milhões pela cotação de hoje) para o desenvolvimento das criptomoedas na África e na Índia. Este novo projeto também é financiado exclusivamente pela dupla.

Críticas ao projeto

Após o lançamento da “Academia do Bitcoin”, o rapper e o ex-CEO do Twitter foram alvo de críticas nas redes sociais. Para os internautas, a volatilidade dos ativos digitais pode ter um efeito catastrófico no público de baixa renda, diferente do impacto nos investidores mais ricos.

Sobre isso, o artista afirmou que “o objetivo é simplesmente fornecer às pessoas ferramentas para elas construírem independência para si mesmas e para a comunidade ao seu redor”. Dorsey também reforçou o foco educacional da iniciativa, dizendo que ela “não é apenas sobre Bitcoin, é sobre pensar no longo prazo, economias locais e autoconfiança”.

Os participantes receberão uma pequena quantia de bitcoin, além de terem acesso a smartphones e planos de dados.



TecMundo