O cafezinho do começo do dia pode fazer muito mais do que nos manter acordados e em alerta. Um estudo recente mostra que doses de cafeína podem causar mudanças duradouras no nosso cérebro que privilegiam o aprendizado, e que permanecem mesmo quando paramos de consumir a bebida por um tempo.

Em uma pesquisa publicada na revista científica The Journal of Clinical Investigation, os cientistas notaram que o cérebro de roedores que receberam uma bebida cafeinada regularmente por duas semanas apresentaram diferenças em vários tipos de células cerebrais.

caféBrasil é o segundo maior consumidor de café no mundo (Crédito: Shutterstock)

Entre as diferenças encontradas pelos pesquisadores, está o aumento nas células envolvidas na sinalização neuronal e na plasticidade. No experimento, os roedores cafeinados tiveram maior atividade em genes envolvidos na formação de memória durante tarefas de aprendizado.

De acordo com os cientistas, algumas das mudanças foram notadas mesmo nos animais que já não recebiam a bebida havia mais de duas semanas.

Estudos que avaliam os efeitos do café no nosso corpo são essenciais. O café é uma das bebidas mais consumidas no mundo — no Brasil, segundo maior consumidor do grão no mundo, a popularidade da bebida cresce a cada ano.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC), em 2021, o país consumiu 21,5 milhões de sacas de café (a saca de café possui 60 kg) — um aumento de 1,71% em relação ao ano de 2022.



Olhar Digital