Oferecer formação profissional na área de tecnologia para mais de 5 mil mulheres é uma das metas da Americanas S.A. para 2023, bem como proporcionar mais vagas de capacitação para jovens em situação de vulnerabilidade social. Os planos fazem parte do Relatório Anual 2021 da companhia, divulgado recentemente.

No documento, o primeiro após a combinação das operações das Lojas Americanas com a B2W Digital, são informados os resultados das diferentes áreas de atuação da varejista e da sua estratégia ambiental, social e de governança (ESG). As metas socioambientais da empresa também são descritas.

Entre elas, está a criação de um programa de fomentação da educação em tecnologia direcionado ao público feminino. Devem ser ofertadas pelo menos 5 mil vagas em cursos gratuitos, distribuídas em diferentes regiões do país, porém ainda não há informações mais detalhadas a respeito do projeto.

A varejista deve lançar um programa de qualificação em tecnologia para o público feminino.A varejista deve lançar um programa de qualificação em tecnologia para o público feminino.Fonte:  Shutterstock 

A Americanas planeja ainda alcançar a meta de capacitar 100 mil jovens em situação vulnerável até o final do próximo ano, por meio dos programas de formação do grupo, que estava prevista em um plano divulgado em 2014. E a firma prevê o aumento deste número, chegando a 500 mil pessoas atendidas até 2025.

Outros planos anunciados

Ainda nos segmentos de educação e igualdade de gênero, a companhia pretende ampliar o projeto Americanas na Favela, chegando a 50 comunidades atendidas no próximo ano. Atualmente, a iniciativa está presente em sete localidades no Rio de Janeiro e em São Paulo, contribuindo para a capacitação dos moradores e a geração de empregos.

Desenvolver um programa para ampliar a inclusão de negros em cargos de liderança e alcançar 100 ONGs, instituições e/ou empreendedores sociais e capacitá-los são outros planos da varejista para 2023. Já para 2030, a meta é contar com 50% dos cargos de líderes na área de tecnologia ocupados por mulheres.



TecMundo