Se tem um gênero de jogos que eu sou apaixonado é o de esportes. Sempre foi complicado dissociá-lo da minha profissão e de tudo o que eu vivi na infância. E os games de Fórmula 1 estão entre os que eu mais me diverti na última década.

A história começou há muitos anos, com o Super Monaco GP. Mas você deve pensar: por que toda essa história é necessária para contar um pouco sobre esta análise? Porque chegaríamos em 1998, quando surgiu o maravilhoso F-1 World Grand Prix, no Nintendo 64.

Este título me marcou de uma forma espetacular, primeiro por revolucionar o que encontramos antes destes títulos. E segundo, porque faz muito tempo que eu busco no mercado um jogo que me deu a mesma sensação.

F1 22 está entre nós, ainda com o DNA da Codemasters, que de certa maneira também revolucionou os jogos de corrida da categoria. Só que dessa vez temos o primeiro ciclo completo da Electronic Arts, que adquiriu a empresa recentemente. E é lógico que o dedo dela estaria por lá.

Novidades

O título é praticamente o mesmo do ano passado. Isso pode ser o ponto fraco do game, principalmente para os que realmente se divertiram com a versão de 2021. Mas aí eu te pergunto: o que poderia ser melhorado?

Como disse anteriormente, era fácil ter certeza de que a EA colocaria seu dedo no jogo, dando suas pinceladas habituais. Foi assim que surgiu o modo F1 Life. Ele é nada mais nada menos do que um local pra você mostrar sua vida dentro do game para outros jogadores.

Você pode customizar seus acessórios e exibir sua coleção de carros, além de comprar itens nas lojas para incrementar seus supérfluos digitais, com as suas PitCoins. Desculpe Eletronic Arts, mas tudo isso é totalmente descartável.

É lógico que tem jogador que vai gostar de montar seu espaço da melhor forma possível, mas para mim, foi uma perda de tempo gigantesca. Poderia ter focado na construção de pistas antigas e de veículos lendários que marcaram a época de ouro da F1.

Uma das principais mudanças podem ser encontradas nos veículos, que foram repaginados na vida real para essa temporada. Todos os detalhes estão lá, principalmente os novos pneus de corrida.

Os circuitos da Austrália, Espanha e Abu Dhabi receberam as atualizações que ocorreram recentemente, o que deu uma imersão ainda maior ao jogo. Também seguimos com as corridas de sprint nos circuitos de Ímola, Áustria e Brasil. Ah, e não podemos esquecer da pista de Miami, novidade no circuito.

Alguns outros detalhes foram implementados, como as CGs de fim de semana e os programas de treinos, que já haviam sido reformulados no jogo passado e ganharam mais usabilidade na tela.

Não menos importante, mas para usuários do PC, ainda é possível se divertir no modo VR. Infelizmente não tive a possibilidade de testar o jogo desta forma, mas imagino que deve ser sensacional.

Imersão à flor da pele

Lembra quando citei acima o F-1 World Grand Prix, do Nintendo 64? Algo que me marcou muito naquela época foi o quanto o jogo era real. Atualmente ele pode parecer a coisa mais horrorosa do mundo, mas para 1998 era difícil imaginar que os jogos de corrida seriam melhores.

Com a chegada do F1 2022 eu tive a mesma sensação de quando tinha 18 anos. Me senti pilotando dentro de uma corrida de verdade. Tudo é muito bem feito e real. Os detalhes dos carros e da pista estão presentes em todas as partes.

Curiosamente, percebi muitos serrilhados ao jogar em 1080p. Pode ter sido algo que eu não arrumei nas configurações do jogo. A otimização está excelente, já que meu computador cumpre todos os requisitos máximos para se divertir com o título, tirando o Ray Tracing.

Mesmo ao jogar em 4k senti uma otimização muito boa, com praticamente nenhuma queda de framerate. Os testes foram realizados em uma Geforce RTX 2080 Ti.

O som ambiente e dos motores estão perfeitos, trazendo tudo o que é necessário para sentar no cockpit e se divertir durante horas. O único problema que eu achei foi na dublagem do piloto Carlos Sainz, em que falam o nome dele de forma errada.

Complexidade e usabilidade caminham juntas

Você poderá se divertir em diversos modos. Pode optar em iniciar sua carreira na Fórmula 2 ou então optar por uma entrada direta na Fórmula 1.  Ainda é possível jogar no modo multiplayer e em tela dividida com seus amigos.

Os jogadores terão diversas opções dentro do modo carreira. Muitas delas já estavam presentes na edição anterior, porém foram remodeladas para uma melhor percepção.

A árvore de desenvolvimento segue com muitos itens para deixar sua evolução a melhor possível. As configurações de jogo vão agradar tanto os jogadores mais casuais quanto aqueles que buscam uma experiência mais próxima da realidade.

Além disso, será possível se divertir com alguns objetivos entre os fins de semana, utilizando carros esportivos. Existem provas com média de velocidade para serem cumpridas e também de drift.

Adversários por toda a parte

Por mais que as novas implementações não sejam lá essas coisas, temos que dar o braço a torcer pelo trabalho feito na inteligência artificial.

Quem gosta de jogos de corrida sabe que todas as características de um título desse porte devem beber inicialmente de uma IA robusta e de extrema qualidade.

É notório e satisfatório o trabalho feito a cada ano para desenvolver este quesito ao longo do tempo. Os adversários são agressivos e inteligentes dentro de uma corrida. Cada vez menos tenho a impressão de jogar contra o computador.

Vale destacar que isso não é uma qualidade específica desta série. Já havia notado e falado em outros review de jogos de corrida sobre como a inteligência artificial vem ganhando cada vez mais vida neste gênero.

E isto é ótimo, pois aumenta a diversão, a imersão e principalmente a realidade, muito buscado pelos apaixonados por automobilismo. Aliados à física praticamente perfeita de jogo, F1 22 tem vaga cativa na primeira prateleiras dos games de corrida.

Vale a pena?

Confesso que faltou muito pouco para chegarmos à nota máxima nesta edição. Eu imaginava que a Eletronic Arts colocaria um pouco de sua ideologia no jogo. Era óbvio que as moedinhas estariam presentes.

O lado bom é que ela ainda não é tão agressiva como em outros jogos, como o da série FIFA. Mas que fique um alerta de que a novidade neste quesito pare por aí. Jogadores preferem pistas antigas e carros lendários para se divertir e não roupinhas alternativas para deixar seu personagem bonitinho.

Nos outros quesitos F1 22 agrada 100%, trazendo tudo aquilo que os apaixonados pela categoria gostam. Gráficos estupendos, física praticamente perfeita e uma jogabilidade suave e prazerosa.



TecMundo