As agências espaciais americana e russa assinaram um acordo para compartilhar os voos rumo à Estação Espacial Internacional (ISS). Após meses de discussão, representantes da NASA e da Roscosmos chegaram a uma nova aliança.

Na parceria, dois astronautas russos poderão viajar a bordo do transporte espacial dos Estados Unidos, enquanto os americanos terão duas vagas reservadas no foguete Soyuz, da Rússia.

EUA e Rússia renovam acordo para compartilhar assentos em voos espaciais (Fonte: Shutterstock)  Shutterstock NASA e Roscosmos renovam acordo para compartilhar assentos em voos espaciais (Fonte: Shutterstock)

Em setembro devem acontecer os primeiros voos resultantes do novo pacto. Frank Rubio, americano, irá embarcar no Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, ao lado dos companheiros russos Sergey Prokopyev e Dmitry Petelin.

Em troca do assento, a astronauta Anna Kikina viajará no foguete Crew Dragon com destino à ISS em companhia de dois astronautas americanos e um japonês, partindo do Centro Espacial Kennedy da NASA, na Flórida.

Kikina, porém, não deve apenas pegar carona. Única cosmonauta russa na ativa, a engenheira irá pilotar a cápsula espacial da empresa SpaceX até o destino final. Essa espaçonave é usada desde 2020 pela NASA nas missões para a ISS.

A americana NASA e a russa Roscosmos são as principais agência envolvidas na operação da ISS desde sua criação. Há décadas a aliança entre as duas é vista como um símbolo da exploração do espaço para fins pacíficos.

A parceria foi renovada depois de meses de tensão crescente entre Rússia e Estados Unidos. Os norte-americanos reprovam a invasão de tropas russas sobre o território ucraniano. O fim da cooperação nas operações na ISS tem sido tema nos discursos políticos, mas a NASA afirma que os conflitos não afetam os acordos existentes entre os dois países.



TecMundo