Modelo Mariana Vassequi se pronuncia após caso de racismo envolvendo cabeleireiro | Pop & Arte

Modelo Mariana Vassequi se pronuncia após caso de racismo envolvendo cabeleireiro | Pop & Arte


Nas imagens, a frase completa dita pelo cabeleireiro é inaudível, mas em seu texto, a modelo explica o que foi dito por Wilson: “Esse cabelo ou essa pessoa é um filhote de patrão, porque o patrão comeu uma escrava e gerou isso aqui”.

“Simplesmente dizer isso é legitimar a cultura do estupro! Quando você diz com essa frase horrível que ‘patrão comeu’ você tá falando de um estupro, ou você acha que mulheres escravas tinham liberdade sobre seu próprio corpo? Você tá banalizando assédio e sendo machista! E vou te dizer uma coisa, querido: nós não somos filha de patrão nenhum, você conhece minha família? Sabe quem é meu pai minha mãe? Então cala a boquinha”, escreveu Mariana.

A modelo também afirmou que essa não foi a única frase dita por Wilson durante o evento.

“Outra frase citada: ‘Esse cabelo é um cabelo que vem do morro, e agora essas mulheres tem dinheiro e agora elas querem ir em salão chique, por isso nós temos que saber mexer com elas.’ E muitas outras.”

“Você disse o que queria dizer e o que pensa! Você disse o que não fala na cara das famosas, mas fala pra modelos que não são famosas, mas mesmo assim nós temos valor”, apontou a modelo.

No texto, ela afirma que o vídeo foi gravado durante um trabalho que fez para o lançamento de um novo produto para uma marca de cosméticos. Mariana ainda citou que percebeu o que estava acontecendo na hora, mas se calou por medo de perder o trabalho.

“Naquele momento, por medo de sermos demitidas, por medo de acabar a diária e a gente não receber (pois com a pandemia os jobs trabalhos de modelos caíram muito e cada uma já tinha saído de longe pra estar lá eu saí até de outro estado) e também pela pressão da profissão por naquele momento se tratar de um ambiente de trabalho onde a modelo já é vista como apenas a boneca sem voz”.

Wilson Eliodorio publicou um vídeo em seu Instagram e pediu desculpas a Mariana e Ruth Morgan, outra modelo que participou do evento.

“Pra além das óbvias desculpas, meu compromisso de mudança de atitude e revisão de valores. O momento é de escuta e transformação”, escreveu ele na legenda do vídeo.

“Eu erro. E o fato de ser negro não me isenta do erro. Porque assim como você, eu nasci nesse país racista. Sim, sofreu preconceito, racismo, e não aprende, não aprendeu que não se repete isso com um irmão. Mesmo negro, bicha preta, repetiu todas as merdas que ouviu pela vida, que ouve todo dia, que a gente ouve pela vida afora, perpetuando essas piadas horrorosas que disseminam ódio, racismo, machismo, misoginia, preconceito.”

“Eu trabalho com o cacho, entendo o cacho, entendo o crespo, e sou muito orgulhoso de influenciar mulheres a assumir seu cabelo natural, crespo.”

“Tenho muita culpa, muita vergonha, de ter dito o que disse. Principalmente pela dor que causei. Mas repito, ser preto não me faz imune da construção racista desse país. Estou em reeducação. Assim como tantos de nós. Desculpa. Desculpa, Mari, desculpa Ruth.”



Todos os direitos reservados a fonte

Deixe uma resposta

Fechar Menu